• aatrba

Saiba como ajudar territórios e populações atingidas pelas chuvas na Bahia

Acesse o link para ajudar!


Fortes chuvas nos últimos dias têm afetado as regiões sul e sudeste da Bahia e também o norte de Minas Gerais, após um longo período de chuvas também na região do extremo sul baiano. Desde o final da década de 1960 o estado não era atingido tão severamente. Até o momento, são contabilizadas 18 vítimas fatais, 16 mil desabrigados/as, 19 cidades com enchentes e alagamentos e 72 em estado de emergência. Duas barragens se romperam, uma no município de Itambé, outra em Jussiape e há o monitoramento de mais 10 barragens em situação crítica. O Movimento dos Atingidos/as por Barragens já havia denunciado que 2 barragens se romperam no dia 10 de dezembro na cidade de Apuarema, região sudoeste.





O governo do Estado da Bahia decretou que as 72 cidades em situação de emergência devem mobilizar ações e recursos institucionais para atender as populações atingidas. A publicação foi feita no DOU da Bahia no último domingo, dia 26 de dezembro de 2021. A Polícia Rodoviária Federal tem monitorado e divulgado no Twitter @prf_ba um boletim atualizado da situação das estradas no estado, muitas com desmoronamentos, alagamentos, deslizamentos, quedas de árvores, pontes e necessidade de desvios.


O racismo ambiental faz com que a situação de calamidade atinja severamente os territórios e as populações tradicionais, que enfrentam dificuldade de acesso para socorro e recepção de mantimentos e doações. Comunidades ribeirinhas, pesqueiras, marisqueiras, geraizeiras, quilombolas e indígenas estão sendo afetadas material e imaterialmente diante da situação de desastre ambiental que afeta desproporcionalmente os territórios. Essas comunidades já são afetadas por empreendimentos de cercamentos ou que promovem a poluição das águas, escoamento de produção, energéticos, de mineração e especulação imobiliária que acentuam os conflitos fundiários.

A defesa dos territórios em todo o estado é central e denunciamos no estudo Na Fronteira da Ilegalidade: desmatamento e grilagem no MATOPIBA (disponível em matopibagrilagem.org.br) como agronegócio baiano tem atuado na fronteira agrícola, presente no entroncamento dos 4 estados das iniciais da siglas, promovendo a grilagem e o desmatamento, que, junto com as queimadas, já afetam cotidiana e severamente populações tradicionais. É importante lembrar que severas queimadas atingiram o cerrado baiano, onde estão presentes aquíferos importantes, e outros biomas como pantanal e Amazônia em 2021, como trouxe o Dossiê Agro é Fogo (disponível em agroefogo.org.br) e os demais efeitos do agronegócio financiado pelo estado brasileiro, proprietários privados e pelo capital internacional para as rápidas e graves afetações climáticas.

Segundo o G1, e, de acordo com o governo, passam a fazer parte da lista de cidades em situação de emergência: Anagé, Angical, Arataca, Aurelino Leal, Barra do Choça, Belo Campo, Brejolândia, Caatiba, Caetanos, Camacan, Canavieiras, Coaraci, Cotegipe, Dário Meira, Firmino Alves, Floresta Azul, Gandu, Governador Mangabeira, Ibicaraí, Ibipeba, Igrapiúna, Iguaí, Ipiaú, Itabuna, Itaju do Colônia, Itapé, Itapetinga, Itapitanga, Itaquara, Itororó, Jequié, Jussiape, Lafaiete Coutinho, Manoel Vitorino, Marcionílio Souza, Milagres, Pau Brasil, Poções, Santanópolis, Santa Inês, Sapeaçu, Ubaíra, Ubatã, Uruçuca, Valença, Vitória da Conquista e Wanderley. Já estavam em situação de emergência as cidades de Alcobaça, Belmonte, Caravelas, Eunápolis, Encruzilhada, Guaratinga, Ibicuí, Ibirapuã, Ilhéus, Itabela, Itagimirim, Itamaraju, Itanhém, Itapebi, Jucuruçu, Lajedão, Macarani, Medeiros Neto, Mucuri, Nova Viçosa, Porto Seguro, Prado, Santa Cruz Cabrália, Teixeira de Freitas e Vereda.


Por isso, é muito importante a solidariedade de todas e todos nesse momento!

Em Salvador, entre os pontos de coletas de doação estão:

  • OAB - BA, na a sede da seccional, na Rua Portão da Piedade;

  • Grupo voluntárias sociais, no Palácio da Aclamação, no Campo Grande, das 8h às 20h;

  • Shopping Paralela, piso 2.


Para as demais ações de solidariedade e doações em dinheiro, algumas organizações e prefeituras estão divulgando as informações. Acesse o link.






55 visualizações0 comentário